Riesling

Riesling

Riesling - a Rainha das Castas Brancas
A Riesling é a rainha das uvas brancas. Na Alemanha, é a variedade de uva mais importante, com a mais longa tradição. A Riesling é cultivada em praticamente todas as regiões da Alemanha, com um total de quase 23 mil hectares, sendo o Mosel e o Rheingau suas áreas mais tradicionais. Documentos históricos mencionam o uso da uva já em 1435, e em Rheinhessen e no Palatinado (Pfalz) a uva Riesling foi cultivada desde o final do século 15 e na primeira metade do século 16. Internacionalmente, a variedade é conhecida como "Riesling do Reno". Para os vinhos Riesling de Baden, o sinônimo de "Klingelberger" pode ser usado. Isso remonta à localização dos primeiros plantios puros de Riesling: em 1782, o Marquês de Baden, ancestral de um dos nossos produtores, mandou plantar videiras de Riesling inicialmente puras na parcela "Klingelberg” ao lado do castelo Staufenberg. Ainda hoje, um dos nossos vinhos é chamado de "Klingelberger Riesling 1782". Cultivo A Riesling é uma uva de amadurecimento lento cujo elemento característico é a destacada acidez, com excelente caráter frutado. Portanto, é predestinada para as regiões do norte, onde amadurece em temperaturas moderadas devido aos longos dias de verão, e a perfeita insolação completa a sua maturação. A Riesling depende muito da localização (orientação para o sol, encostas íngremes), mas menos do solo. Dependendo da localização (tipo de solo e microclima), os vinhos são muito diferenciados. Os melhores lugares de plantio são as íngremes encostas rochosas ao longo dos rios, que tem boas condições de retenção de calor. Vinificação A vinificação da Riesling é principalmente feita em tanques de aço para destacar o caráter da fruta. Muitos dos nossos produtores deixam os vinhos de Riesling amadurecer em grandes barris de carvalho, de modo tradicional. Esses barris não passam os aromas de madeira para o vinho, mas permitem a micro-oxigenação, importante para o desenvolvimento dos vinhos. O típico vinho de Riesling mostra cor amarelo pálido, com nuances esverdeadas. Os aromas de pêssego e de maçã dominam, e sente-se uma acidez refrescante na boca. Nos Rieslings de solos de ardósia fala-se de uma “nota mineral” e alguns vinhos mostram aroma de sílex (pedra de isqueiro). Uvas de videiras maduras muitas vezes conferem aos vinhos interessantes aromas de derivados de petróleo, como querosene. Também a Riesling é a principal estrela dos excepcionais vinhos alemães produzidos com uvas acometidas por Botrytis Cinerea em sua forma nobre e dos interessantes Eiswein (Vinho do Gelo), elaborado com uvas colhidas congeladas na parreira. Os vinhos da uva Riesling, por sua imensa acidez e ótima concentração de frutas têm imenso potencial de guarda, mas os vinhos mais simples podem ser consumidos jovens, com muito prazer. Os vinhos secos de alta gama e os vinhos doces de Riesling podem ser guardados por longos períodos, sempre em adegas climatizadas. Enogastronomia Vinhos Riesling secos e semi-secos acompanham muito bem pratos leves, frutos do mar e peixes de água doce cozidos no vapor, carne de porco com molhos leves e pequenas aves. Vinhos semi-secos combinam bem com pratos agridoces como os da cozinha oriental, japonesa ou thai. Os vinhos mais doces são boa companhia para sobremesas ou queijos de veios azuis, assim como podem ser interessantes como vinho de meditação, para serem consumidos por si só com grande prazer.

Desc

Itens 1-12 de 37

Ver como Grade Lista
por página
Desc

Itens 1-12 de 37

Ver como Grade Lista
por página
To Top